Frustração na não-escolha de Belém como cidade-sede da Copa de 2014.

1 junho, 2009 at 20:06 (Uncategorized)

Não deu pra Belém. Apenas uma cidade vai representar a Amazônia como sede da Copa de 2014 no Brasil. A FIFA escolheu Manaus. Saiba como foi a “festa” em Belém que comemoraria a eleição da cidade, mas que acabou apenas marcando o brilho de uma tragédia anunciada.

A primeira coisa que se via ao chegar à Praça da República, no centro de Belém, eram bolas coloridas voando. Era uma tradição da quadra nazarena, os dias que giram em torno do Círio de Nazaré, realizado em outubro na capital paraense. Aquelas bolas coloridas, de plástico brilhante, fazem a diversão das crianças que vão ao arraial de Nazaré, acompanhadas dos pais devotos da Virgem. Mas não era outubro. Era maio, e o motivo de aquelas bolas pularem e serem tantas era outro. 31 de maio de 2009 foi o dia escolhido pela FIFA (Federação Internacional de Futebol e Associados) para anunciar as cidades sede da Copa do Mundo de 2014, a ser realizada no Brasil. Belém estava no páreo, junto com outras fortíssimas candidatas. Era um domingo, e os pais foram à praça com a expectativa do resultado que viria direto das Bahamas, da boca de Joseph Blatter, presidente da FIFA. As crianças, talvez alheias à importância da data, simplesmente brincavam com as bolas. Uma delas fugiu ao controle de um menino, escorregou à rua que circunda a Praça da República e quase foi estourada por um carro. O menino engoliu um choro seco, até que um taxista atento salvou seu brinquedo colorido. Mais tarde, seria a vez de seus pais engolirem o choro seco. Porque dali a algumas horas Belém seria preterida como uma das sedes pela FIFA. E nem o menino, nem seus pais, veriam a Copa de perto, em sua cidade.

Há vários motivos para pensar que a escolha das sedes, sendo um evento essencialmente ligado ao futebol, não se limita ao futebol, como costuma acontecer às coisas relacionadas a esse esporte. Chegando à praça, a segunda coisa que saltava logo aos olhos era a abundância de bandeiras do estado do Pará, indicando que ali se processava um nacionalismo nem sempre visto por essas bandas. Porque a principal concorrente de Belém a sede da Copa do Mundo, Manaus, capital do vizinho Amazonas, já alimenta há algum tempo uma rivalidade em relação aos paraenses, sentimento correspondido pelos paraenses em momentos capitais, como este. Após o anúncio oficial que dava Manaus como uma das sedes, e não Belém, um jovem ao meu lado se lamentou: “É como perder pra Argentina”. E Manaus era considerada favorita por jornalistas como Ancelmo Gois e Juca Kfouri. Sinal disso é a comparação entre as festas promovidas pelas duas cidades para o dia do anúncio. Em Manaus tivemos a banda Jota Quest, consagrada nacionalmente, oferta do grupo Coca-cola, um dos principais cabos-eleitorais dos manauras. Em Belém, um show básico com artistas da terra, de proporções apenas um pouco maiores às normalmente encontradas nos fins-de-semana ordinários. E bastante desorganizado, a julgar pela ausência de telões que indicassem o motivo maior da festa – o anúncio das cidades-sedes – e a sensação de que ninguém no palco informava nada, nem estava muito interessado no que acontecia nas Bahamas. Da sacada do Teatro da Paz, a imprensa esperava tudo com paciência de Jó, a cinco minutos do anúncio que selaria facetas importante de seu próprio futuro profissional. A multidão se reunia em grupinhos, bebia cerveja em baldes, comia o tradicional churrasquinho de gato de frente de estádio, todos com cara de paisagem, nem nervosos nem confiantes. Uma charanga tentava competir com o trio elétrico. Era uma disputa desleal. Os muitos decibéis do trio elétrico contra os pulmões e os braços de alguns senhores que tocavam por bebida. Mas o som da charanga era melhor. Algumas crianças tinham uma visão privilegiada do alto das mangueiras. Não sei se viam algo de anormal. Resolvi desistir da instalação de um possível telão. Olhei para os repórteres e vi as câmeras imediatamente apontando para um local perto do trio. Uma movimentação diferente havia ali. 15h e 30m, o anúncio devia estar começando.

Além das bandeiras do Pará, ornamento essencial desse dia, que começou chuvoso e terminou triste, era um chapéu de palha com fitinhas coloridas penduradas na aba, uma referência aos chapéus da “marujada”, tradicional festa do interior do Pará. O adereço é bastante utilizado pelo “Arraial do Pavulagem”, um grupo de música da terra, que faria a festa dos belenenses naquele domingo de praça. Faria, se Joseph Blatter não estragasse tudo. O que Joseph Blatter jogou por terra depois que falou, direto das Bahamas, nem o Arraial do Pavulagem conseguiu levantar.

O anúncio em ordem alfabética.

Foi bem rápido. Do trio elétrico saía apenas o áudio da transmissão. Encontrei a barraquinha de um vendedor de côco, com uma televisão 14 polegadas, sinal errante, plateia disputando espaço, um bom ângulo de visão. Outro ambulante comentou comigo: “Se já é desorganizado agora, imagina como será na Copa! Tinha um telão ali”, e apontou a parede do Teatro da Paz. “Não sei por que tiraram”. Não deu tempo para imaginar. Blatter falou e alguém traduziu: “Direi as cidades escolhidas por ordem alfabética”. E disse a primeira: “Belo Horizonte”. Alguns perceberam logo. Belém estava fora da Copa, sem nunca ter estado dentro.

Não demorou a aparecerem os engenheiros de obra pronta: “Eu já sabia!”, disse para mim um rapaz com a camisa da Seleção. “Belém não está preparada, falta muita coisa, infra-estrutura, transporte, dinheiro…” As pessoas se dividiram: umas já tinham certeza que Belém seria preterida, de fato não tínhamos condições; outras culpavam o governo, a prefeitura, os políticos pelo fracasso. Alguém disse, do meu lado: “Acabou meu dia”. O animador do palco, o vocalista da banda que foi paga para tocar, estufou o peito: “É uma pena que isso tenha acontecido. Mas nós fomos chamados para fazer a festa, e vamos continuar a fazer a festa”. Mas a festa demorou para recomeçar. E quando o som voltou a se fazer ouvir, ninguém pareceu dar muita bola. Escolheram tocar (já tinham tocado antes) Belém – Pará – Brasil, música da banda paraense Mosaico de Ravena, que faz parte da identidade local e cujo refrão convida, ironicamente: “Quem quiser venha ver, mas só um de cada vez. Não queremos nossos jacarés tropeçando em vocês”. Parecia uma música escolhida especialmente para responder ao anúncio da FIFA. Começou-se a ouvir gritos de ordem contra a governadora e o prefeito, considerados os principais responsáveis por aquela derrota. Como no futebol, houve os que culparam a arbitragem, fazendo o tradicional gesto manual de “roubalheira”. “A credibilidade da FIFA e da CBF está abalada. Como é que eles deixam vazar as cidades escolhidas antes do tempo?”, perguntou um homem. O discurso de um senhor revoltado, a uma câmera de televisão, me chamou atenção: “O que vão fazer com estádio que vão construir em Manaus, depois da Copa? O futebol de lá é fraco, não movimenta tanto público quanto aqui. A FIFA devia ter pensado nisso também”. E aqui abro um pequeno parêntese.

Remo e Paysandu.

A rivalidade entre os dois principais clubes de Belém é uma das maiores do Brasil. Sem sombra de dúvidas, é a maior rivalidade do Norte do país. Os meninos jogando bola, desde cedo, na praça, encenam a paixão que o torcedor paraense nutre pelo futebol em geral, e pelos dois clubes, em particular. Eram incontáveis as camisetas listradas em azul celeste e branco, na Praça da República, camisetas do Paysandu, que disputa a Série C do campeonato brasileiro. As em azul marinho, lisas, do Remo, eram mais tímidas, reflexo da má fase por que o clube passa. Mesmo assim, a torcida ensaiava, entre uma música e outra, um coro de “Remo, Remo, Remo”. Os torcedores azulinos e bicolores continuavam as tradicionais gozações clubísticas, aqui batizadas “encarnações”, pela capacidade que algumas têm de deixar o rosto do sujeito alvo ruborizado, pintado de encarnado. Assim é que o Remo, por não ter conseguido classificação sequer à Série D do Campeonato Brasileiro, vira o time kitnet: aquele que não tem divisão. E o Paysandu, depois de passar por um tabu de 33 jogos sem vencer o maior rival, virou filho de pescador: só apanha de Remo. A rivalidade clubística toma conta da cidade em dia de RExPA, alimentando o amor que o paraense nutre pelos dois times em especial, e por tabela, pelo futebol. Numa grande faixa na Praça da República, lia-se: “Todas as torcidas numa só paixão”, convidando bicolores e azulinos a torcerem juntos pela Copa no Pará. Do ponto de vista comparativo, no quesito torcida, Manaus perdia de goleada de Belém, já que os mais tradicionais clubes amazonenses, São Raimundo e Nacional, não movimentam pessoas e emoções tanto quanto Remo e Paysandu. Mas torcida, como se viu, não ganha jogo. Um bom projeto, vontade e competência política, e capacidade de atração de investimento, ganham. A torcida paraense, então, enrola as bandeiras, sufoca o grito, e se contenta em ver a bola rolar de longe, pela televisão.

Fim de festa.

Festa finda, o Arraial do Pavulagem subiu ao palco e tentou fazer o impossível: reanimar quem havia passado por uma grande decepção. Alguns corpos balançavam, outros esboçavam sorrisos amarelos. Quem acompanha aquele tipo de festa há algum tempo tem certeza: nunca a animada música paraense soou tão mal. Repórteres percorriam a multidão em busca de captar a indignação e frustração das pessoas. Ambulantes lamentavam o decréscimo do movimento, como deviam lamentar o fim do imaginável consumo extra de possíveis visitantes em 2014. Não havia quem estivesse satisfeito. Mesmo os pessimistas (auto-denominados ‘realistas’), guardavam uma pontinha de esperança pela escolha de Belém, por mais que Manaus parecesse a favorita. Há prêmios de consolação, claro. É possível que algumas cidades preteridas sejam sub-sedes para treinamento de seleções, no período pré-Copa. É possível ainda que cidades escolhidas não consigam cumprir os encargos necessários para receber jogos do Mundial, e a FIFA tenha que trocá-las por outras. Essa não é uma esperança que sirva de consolo, não sara a sensação de orgulho ferido. Porque a FIFA não disse a Belém apenas um “não” à possibilidade de sediar jogos de futebol, logo Belém que tem um dos estádios mais modernos do país e um povo que respira futebol. É como se tivesse dito um “não” também à capacidade de organizar eventos em nível mundial, o que soa como um tapa na auto-estima da população que foi à praça a espera de um “sim”. A sensação, claro, era de completa decepção. Só faltou chover.

Anúncios

39 Comentários

  1. Uriel said,

    Chuva veio antes né Adriano!
    Cara, tava lá na praça e realmente deu um nó na garganta. Eu me enquadrava nos céticos dos quais falaste, mas era aquele ceticismo/morfina, que previne contra a frustração de se perder algo com que realmente se havia empolgado. De nada valeu a melhor estrutura nas telecomunicações, melhor estádio construído e maior tradição no futebol: nenhum dos argumentos utilizados com largura pelos orkuteiros defensores de Belém sub-sede da copa(orkut foi minha principal fonte de informações sobre isso nos últimos meses xD) foram suficientes E o Domingo não foi bom para o povo paraense, definitivamente, não na mídia. Também teve gogo boys de Paragominas e mãe vendendo filha em Portel. Nossa auto-estima foi bater em niveis abissais (a minha pelo menos). Mas, talvez esse Domingo tenha servido como um ‘sacode’, uma oportunidade para ficarmos mais atentos à todas as politicas administrativas dementes que nosso estado têm sido submetido constantemente já faz várias décadas.

    • Adriano Fernandes said,

      Eu, pessoalmente, não fico com a auto-estima abaixada depois de coisas como essa. Sinceramente. Torcia pra Copa ser aqui por causa dos investimentos maravilhosos que a cidade atrairia e porque eu imagino que com a copa a urbanizaçao da cidade daria passos gigantescos, que, sem ela, demorariam muito. Do ponto de vista do futebol, adoraria ver o Paysandu fazendo um amistoso com alguma seleção, na Curuzu, hehe. Sério. O nosso futebol é muito bonito, tem muitas histórias que, eu como jornalista esportivo que pretendo ser, poderia contar muito bem.
      Já pensou um Paysandu x Uruguai na Curuzu?? Seria a coisa mais louca do mundo!

      Os gogoboys de paragominas eu não vi, e acho ótimo que absurdos como os de Portel sejam denunciados. Isso é uma coisa que todo mundo sabe que acontece, mas as autoridades só fazem alguma coisa quando a mídia e a soicedade pressionam.

      Valeu pela atenção, Uriel!

  2. Anônimo said,

    CHORA PARAENSE …

    TENHA UM CONSOLO ..PODE PEGAR O AVIÀO E VIR ASSISTIR AQUI EM MANAUS..
    QUA QUA QUA QUA QUA

    • silva said,

      ninguem vai para esse fim de mundo que é MANAUS, o turista vai ficar em BELEM, voces nem torcida tem para ir no estádio, aí é só pelada ah,a h

    • Anônimo said,

      O pessoal vai preferir viajar pra Fortal.

    • BELÉM said,

      coitado voces não tem nem tradição em futebol esses timinhos dai só disputam o estadual de merda de voces. e depois da copa pra que vai servi esse estadio???. BELÉM AINDA VAI TER OQUE ELA MERECE. MUITO MAIS DO QUE A COPA.

  3. Rafael Queres said,

    Ótimo texto, Adriano. Com certeza ele estará na nossa Futebólica! Apenas peço para que espere essa confirmação, pois levarei sua matéria à gerente do projeto. Encontro com ela na sexta, mas encaminharei o seu e-mail.

    grande abraço,
    RQ.

    • Adriano Fernandes said,

      Espero sim, Rafael!
      Vai ser ótimo colaborar com vcs!

      (surpreso com a rapidez da resposta!)
      abraços

  4. Bacu de Sunga said,

    Eu postei no meu blog ontem tentando elencar os 30 motivos para Belém não ter sido escolhida. Gostei muito do seu texto, você soube tocar nos pontos chaves. Parabéns!

    • Adriano Fernandes said,

      Valeu, Bacu 😉
      Vamo torcer agora pra que tudo dê certo nessa Copa, e pra que ganhemos o hepta.
      😀

  5. OP Lilado said,

    Que pena apos a copa o lindo Vivaldão vai vira BOIBODRAMO>>>>

  6. francisco xavier said,

    poisé, não ganha chora…
    Manaus, a Copa da Amazonia é aqui.. e não no pará…zinho
    mas Manaus é perto.. vcs podem pegar o dinheiro q iam inverti nessa copa q vcs não vão ter aí e vim de barco pra cá..
    “ninguem vai para esse fim de mundo que é MANAUS”
    ora… então não sei porque tem tanto paraense em manaus… se o pará fosse bom ficavam, chega dá raiva..
    CHORA PARAENSE..!!!

    • Alberto Lima said,

      Realmente Manaus precisava de alguma diversão!!..heheh!

      Mas….Hummmm!!! Vou pra Fortaleza!!! …Desculpa aê!! heheh!

    • Anônimo said,

      Quem vai prai é o povo do oeste do PARÁ, que tá mais perto do amazonas do que da capital BELÉM, como já ouvi muitos dizerem e concordo, ninguém em sã consciência sairia de BELÉM pra ir pra MANAUS

  7. Adriano Fernandes said,

    Olha, não sei quem começou essa rivalidadezinha entre Belém e Manaus, mas alguém tem que acabar, né?

    Seria ótimo se depois da copa, na nova Arena Amazônia, os governos articulassem um RE x PA em Manaus. Assim a gente unia o que os dois estados têm de melhor: os clubes de um lado, e o estádio moderno do outro. Garanto que daria casa cheia, pq a quantidade de paraenses no Amazonas não é pequena. E os próprios manauras talvez gostassem da festa.

    Vamo parar com essa briguinha e fazer as pazes, ok?

  8. Anônimo said,

    O pessoal vai viajar pra Fortal.

  9. Cláudio said,

    Pessoal!

    Sou amazonense e há dois pouco mais de 3 meses moro em Belém,já freqüento a cidade das mangueiras aproximadamente 4 anos!
    Posso comentar que tanto Manaus quanto Belém possui suas particularidades e limitações! Nenhuma capital do Brasil está preparada para receber jogos da copa do mundo e a decisão não é a foto do momento, se não Cuiabá e João pessoa não seriam escolhidos para sede.
    Belém é uma cidade maravilhosa sim, porém com um alto índice de violência, não existe assistência nos hospitais e o trânsito é uma merda!
    Há pouco menos de 3 meses, aconteceu um Fórum social Mundial! O que aconteceu??? Muitoooo assalto e a cidade não estava preparada para receber tal quantidade de pessoas. Certo ???? Como vcs acham que fica a imagem da cidade??? Pessoal tendo que dormir em praças por não ter vagas em hoteis ???
    Já no caráter enterterimento é nota 10 , possui belas praças,restaurante e sua noite e reluzente.
    Já Manaus, com certeza possui uma quantidade superior em hotéis,o trânsito é mais passivo,o saneamento básico é melhor ao menos nas principais vias, e temos grandes fábricas patrocinadoras da COPA como SONY,HONDA e etc..
    Mais existe pontos negativos- Estádio,Logística, Aeroporto,distância e outros!!
    Esse negócio de rivalidade fica para desocupados que não tem o que fazer !!!
    Quem tem dinheiro vai assistir a copo do mundo na Europa,USA e outros! Imagina em Manaus que é aqui do lado!!!!!

    Vamos nos unir e ganhar força para região norte!!! Isso sim é melhor que temos que fazer!!

    Cláudio

    • Cláudio said,

      PERDÃO!!!!!! ( NATAL E NÃO JOÃO PESSOAL)

    • Alberto Lima said,

      Tá Tá Tá bom!

      Mas vamos pra Fortaleza!!!

  10. Daisy Damasceno said,

    Nossa! Como é bom compartilhar angústias. Lembro-me que no dia da eleição das cidades sede da Copa de 2014 eu torcia pra que Belém e Fortaleza fossem eleitas; vizinhas dessas duas cidades, eu as considerava como a minha grande oportunidade de assistir a uma Copa do Mundo; logo eu, uma maranhense completamente frustrada com a “nem se quer” escolha de São Luís e do nosso glorioso Castelão (sim, como em Fortaleza) para concorrer a uma das sedes.

    É, talvez tenha sido melhor nem criar esperanças, afinal as nossas chances eram ínfimas. Não somente por que o estádio está interditado há um tempão, em virtude principalmente da atual (e histórica) situação política do nosso estado. Enquanto Roseana Sarney e Jackson Lago disputam a legitimidade e a posse da cadeira mor no Palácio dos Leões, temos que assistir aos grandes clássicos entre Sampaio (a minha Bolívia querida) e Moto Clube num estádio bem menos expressivo.
    Vivemos atualmente uma crise emocional e estrutural do futebol maranhense. Moto e Sampaio na última divisão do Brasileirão (e tomara que não inventem a 5ª divisão); e o MAC (Maranhão Atlético Clube) coitado, como o Remo é o time kit net (sem divisão).

    Mas é lógico Adriano, que o critério escolhido pela FIFA e CBF (muito antes da suposta escolha ao vivo das Bahamas) não beiram apenas as tradições e paixão pelo futebol; lembrei-me agora do Eduardo Galeano em seu “Futebol a sol e sombra”. Vivemos sim uma nova era e para este novo tempo “a tão isolada” Manaus (com todo respeito) deve se enquadrar melhor nos padrões de mercado. Espero apenas que o “mega estádio” não vire cenário de desfiles folcloristas, afinal “grandes estádios” merecem “grandes jogos” (quem sabe um RExPA ?!)

    Muito bom Adriano, pena que a Bolívia Querida (ou samPEIA, como vocês dizem) é freguesa do Paysandu, e quanto à isso, em se tratando de futebol, eu não posso te zuar.

  11. Fernanda said,

    Vamos lá.

    Acho que eu estou numa categoria minoritária que não foi tocada nesse texto. Não tive sentimento nenhum ao saber que a copa não seria aqui. E não estou mentindo.

    Nem sabia que o dia do resultado era aquele. Por acaso fui no quarto da minha mãe e encontrei a televisão ligada exatamente na notícia de que a decisão da região norte foi difícil, mas que a cidade era Manaus.

    Em relação ao futebol, não lastimo nada, já que ele não é importante pra mim, assim como para alguns.

    Em relação ao desenvolvimento que as reformas trariam para a cidade, não acredito nele. Se for para fazer operações pente fino nos bairros como Terra Firme e Guamá, trazer um contigente policial alarmante e escamotear a cidade, como se fez no fórum (que aliás aglutinou cerca de 80 mil pessoas), e, em consequência, aumentar o turismo e incentivar com ele a prostituição e a entrada massiva de capital que somente ajudará ao desenvolver o consumismo em nossa cidade, não obrigada, prefiro continuar sem a Copa!

    Prefiro, na verdade, que todo o dinheiro seja gasto em educação e políticas afirmativas em todo o Estado. Mas a prioridade não é essa, né?

    E aliás, essa rivalidade entre Pará e Amazonas é extremamente ridícula!!! Ora, vivemos problemas tão semelhantes e dificuldades de contato tão grandes e ainda tem gente que só faz aumentar esse distância!

    Sempre tive uma grande vontade de conhecer Manaus e hj tenho medo de ser acometida a todo o momento com franses preconceituosas contra os paraenses.

    Posso dizer-lher manauaras que vcs sempre foram muito bem tratados aqui, até pq conheço vários que vieram de lá e que vivem normalmente aqui. Mas, mesmo assim, persistem com os seus preconceitos fruto de reflexões descontextualizadas.

  12. Fernanda said,

    Ahhh, e qual o problema de o estádio se tornar um espaço em que a cultura de Manaus possa se desenvolver?? Cuidado com os preconceitos “folcloristicos”!!!

  13. Adriano Fernandes said,

    Ai fê, não seja tão pessimista, hehe.

    Tem coisas boas e ruins na entrada de capital e no aumento do turismo, em qualquer cidade do mundo. Belém tem potencial pra ser cidade turística, potencial que só Manaus conseguiu desenvolver e Belém continua na idade da pedra em termos turísticos.

    Não sei vc, mas eu adoraria ver a minha cidade tirando proveito do turismo. Proveito economico principalmente, mas eu consigo pensar em outros pontos: valorização da cultura local, restuaração de logradouros, etc. Fora os empregos, o capital que entra etc. Todas as cidades do mundo que têm prefeitos inteligentes sabem que o turismo é uma forma interessantes de promover o desenvolvimento social, ou pelo menos, a atrair capital. E a Copa, é inegável, é uma vitrine mundial pra qualquer cidade, o que em consequencia pode promover o turismo.

    Eu consigo perceber um problema que DE QUALQUER FORMA teria que ser resolvido caso uma copa do mundo viesse pra cá: transportes. Não dá pra imaginar que uma cidade como belém tenha UMA SÓ saída e o trânsito caótico que tem. Os japoneses já tinham alertado que ia ficar assim, mas cedo ou mais tarde. Imagino que no tal caderno de encargos da FIFA viria um imperativo pra resolver o problema. E toma-te dinheiro e tecnologia pra resolver.

    Mas claro que a prioridade é investimento em educação e políticas afirmativas. PRA NÓS. Não pros políticos e capitalistas que investem e sonham com uma copa como fonte de lucro. Eles não acham isso, e nem sei se é producente dar murros em ponta de faca. Vamos tirar deles o que eles têm a nos oferecer.

    Mas eu confesso. Queria MUITO ter essa copa aqui pra ver o Paysandu jogar contra o Uruguai, haha. Sim eu sou egoísta. 😀 Mas é pq seria lindo demais se isso acontecesse. :p

    beijos e volte sempre.

  14. trio eletrico said,

    Parabens pelo blog!
    Estou enviando esse site pois acredito ser muito pertinente com o assunto
    trioeletrico.net.br

  15. Anônimo said,

    Voltei ao Brasil há pouco tempo. Sou paraense e ligado ao esporte nas horas vagas, por isso estou respondendo esta postagem só agora. Mas começo pela primeira coincidência. Por que será que o local escolhido para o anúncio da Copa foi as Bahamas? Será que é por ser perto dos paraísos fiscais? Dou um doce pra quem advinhar quem será um dos homens mais ricos do Brasil em 2015, começa com Ri e termina com Teixeira. Outro uma só sede na Amazônia, pq será? A galera do Centro sul faz questão de inflamar essa rivalidade imbecil entre Belém e Manaus, e eles, ou melhor, nós aceitamos. Como se fosse a coisa mais comum do mundo. Se liga nortista enquanto isso continuar vão continuar nos enrabando, sem vaselina e tomá-te. O dinheiro da Sudam sumiu, um certo alguém disse que o dinheiro da sudam estava empregue na Avenida Paulista, isso não vemos. Ah! e agora “eles” tem alguns projetos para nossa região: 1º dividir o Pará e o Amazonas e criar vários outros estados, vamos parar a conta, que é que tem sempre aceitamos tudo. 2º “Eles” precisam de energia para sustentar toda a infraestrutura necessária para copa e olimpiadas, então vamos inundar imensas áreas verdes, onde milhares de famílias tiram suas subexistências e descolar nossas populações indigenas. Eu não falei essa é uma rivalidade super saudável. O detalhé é não somos burros não é mesmo.

  16. carolina said,

    Nós devemos para com essa ridicula rivalidade , manaus e belém nossa as melhores cidades que eu ja vivi , enquanto o sul e o sudeste estão unidos so rindo da nossa cara , ta na hora de cair na real e para com essa frescura de quem e o melhor ou não …. se n fosse o nosso egoísmo pará ia sediar uma copa junto com manaus , isso e uma vergonha so manaus representa a amazônia devia ser pelo menos 2 ………….

  17. Anônimo said,

    e manaus 2014, e belém 2000 e nunca

  18. Vivian said,

    Nossa, ao ler esse texto me lembrei daquele fatídico domingo. Eu estava lá junto com aqueles milhares de paraenses na Praça à espera da melhor notícia que Belém poderia receber por no mínimo 50 anos. E acabou sendo a pior notícia esportiva da nossa história. Perdemos investimentos que a cidade talvez nunca terá. Não sei se um dia vai ter outra Copa no Brasil mas mesmo se tiver provavelmente vão excluir Belém de novo. Não temos Lobby de multi-nacionais, infelizmente criaram uma zona franca em Manaus e não aqui, a concorrencia fica desleal. Sem falar que os nossos governantes são tudo o que não presta. Assim, sem lobby e sem governantes competentes, Belém continuará perdendo grandes oportunidades de evoluir. Mas uma coisa que você me falou me chamou a atenção e me encheu de orgulho: você disse que aqui tem um nacionalismo sem igual, e é verdade. Na verdade há um “paraensismo” muito forte, o povo ama as suas raízes, a sua terra e a sua bandeira. Aqui é comum as pessoas andarem com camisas com as cores e formas da bandeira do Pará. Tenho uma amigo goiano que me disse que ficou impressionado ao ver como o paraense ama a sua bandeira.
    Bom, como eu sei que amazonense não gosta de paraense, só me resta assistir a Copa em Fortaleza, que é linda e hospitaleira

  19. Anderson said,

    Bem….como todo Paraense é lógico que eu tbm fiquei super triste com a não escolha de Belém como sub-sede da copa de 2014, mas tbm não vou diminuir Manaus por ser a escolhida, porém convenhamos Belém deveria ter sido escolhida sim, não vale a pena citar todos os motivos pelo qual ela deveria ser escolhida, sou Marabaense e contava com a escolha….Se me perguntarem se eu vou pra Manaus assistir a copa? Jamais….Sei tbm que eles não recebem muito bem os paraenses, eu vou para Brasília, primeiro pq não tenho paciencia pra pegar barco pra chegar numa cidade e segundo pq Brasília fica bem mais perto de marabá do que Manaus, falo isso em questão de logística! Mas fica aqui os meus Parabéns aos Manauaras…façam o que bem entederem com o seu Estádio….

    Amooo Belém, O Portal de entrada da Amazônia.

  20. luan antenor said,

    NAO É QUESTAO DE TIMES É QUESTAO DE INFRA-ESTRUTURA COISA QUE MANAUS TEM MAIS QUE BELÉM,MANAUS JÁ É A 3 CIDADE MAIS RICA DO BRASIL EU FUI A MANAUS RECENTEMENTE E REALMENTE A CIDADE TÁ CRESCENDO,E MANAUS TÁ SENDO APOIADO POR ENPRESAS GRANDES A FIFA NAO IA DAR ESSA VITÓRIA PARA NÓS, QUE TEMOS QUE SAIR DA NOSSA CIDADE NATAL PARA PODERMOS ARRUMAR EMPREGO EM MANAUS UMA VERDADEIRA VERGONHA,UMA FALTA DE RESPEITO COMO A NOSSA LINDA CIDADE QUE ATÉ NOS TEMPOS DE OURO DA BORRACHA FOI DESBANCADA POR MANAUS NOS TINHAMOS MAIS RIQUEZAS MAIS OS EUROPEUS FILHOS DA PUTA GASTAVAM TODO NOSSO DINHEIRO COM MANAUS NAO É ATOA QUE NAO SOMOS A METRÓPOLI DA AMAZONIA!!!MANAUS CIDADE MERDA!!!!

    SOU PARAENSE COM MUITO ORGULHO!!!!!!!!

  21. Iamara Ribeiro said,

    Mais que uma decisão “futebolística”, foi uma decisão política.Manaus é o o quarto PIB do Brasil, temos multinacionais no Parque indústrial, fazemos marketing da cidade à nivel internacional, ou seja, mesmo sendo a cidade encravada na floresta, conseguimos superar muitas outras que tem rodovias a seu favor,como é o caso de belém. Os nossos políticos, nessas horas se unem pra valer, com muita garra. E deu no que deu.

  22. alecio ramses said,

    Eu sei porq os manauaras tem tanta raiva dos Paraenses.
    Em manaus a metade da populacao e Paraense e a outra metade e filho de Paraense.

  23. alecio ramses said,

    Belem tem jeito de cidade e uma cidade linda.
    manaus tem cara de favela………………..

  24. Raphael said,

    Pra q ver jogo de copa do mundo se posso ver meu PAPÃO no mANGUEIRÃO LOTADO? Garanto q a emoção é bem melhor!!!!! VAMOS SUBIIR PAPÂO PORRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  25. Daniel Pará said,

    Concordo com quem disse que devemos nos unir pra acabar com a gozação do sul sudeste afinal somos todos amazonicos.

  26. Tiagao manauara said,

    Para e uma droga, belem nao chega nem aos pes de manaus , belem e pobre manaus rica esses parazinho filho da puta vem mata a fome aki

  27. luzcavalcante said,

    na minha opinião belem não foi escolhida, porque os politicos da nossa terra, só se preocupam em desviar verbas das nossas e poucas repartições, esquecendo que suas proprias empresas sofreram tambem as consequencias de suas propias atitudes. Pois. os maranhences não estao nem ai! se tem copa para o estado ganhar investimento ou não. Pelo motivo de terem como representante no senario nacional mum senhor chamado JOSE SARNEY, que passou e passa a vida toda mandando verbas para o seu estado e não cansado do tal feito, ainda nos furta o nosso minerio atraves leis tendenciosas e como não bastasse ultimamente os honesto do maranhao adquiriram só em papel sem dinheiro a nossa CENTRAIS ELETRICAS DO PARA, onde nessas investidas o que sobra paRA nos , são: DESEMPREGOS, FOME 100%, CLATERAS DE SERRA PELADAS DA VIDA, QUEIMADAS , DESMATAMENTOS, ASSASSINATOS E POR ULTIMO, A VERGONHA DO PARAENSE VER PASSAR PELO AR, PELO MAR E POR TERRA AS NOSSAS RIQUEZAS SE TRANSFORMANDO EM DINHEIRO NOS OUTROS ESTADOS. “PARABENS A TODOS AQUELES POLITICOS QUE INVESTEM DESTA MANEIRA EM PROL DE SEU POVO ESTANDO CERTO OU ERRADO. este foi meu desabafo por tudo que esta acontecendo em nosso estado.

  28. Ricardo said,

    No final das contas Manaus ficou só com o estádio extremamente mal localizado e nenhuma outra obra será construída. O VLT prometido não sairá e a cidade terá o maior elefante branco da história das copas. Belém, mesmo sem recursos da copa fez as obras de infraestrutura que Manaus não fará, mesmo sendo sede da copa. Amazonense que fala mal de Belém é 100% de certeza de que nunca saiu do mato pra cidade grande.

  29. Dmittry Manauara said,

    Eu já sabia. Manaus e simplesmente a toda-poderosa do Norte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: